Como ocorre?

As necessidades e particularidades de cada caso definirão o melhor modo de conduzir o acompanhamento, o qual poderá assumir a forma de um processo de aconselhamento, normalmente utilizado em situações de crise e emergência - e que por isso tende a ser mais curto e focado, ou a de um processo psicoterapêutico, onde o tempo poderá ser tão longo quanto o necessário e variadas áreas serão exploradas.

Inicialmente a periodicidade das sessões costuma ser semanal, mas este será um dos aspectos discutidos entre a psicóloga e o cliente durante a avaliação do caso.

As intervenções realizadas dependerão de uma relação empática e colaborativa entre as partes e a abordagem (linha terapêutica) utilizada tem uma base sistêmica, ou seja, leva em consideração não só o indivíduo, mas as ações e reações deste indivíduo como um ser que influencia e é influenciado dentro do contexto no qual ele está inserido.